Home

“L’Intervallo Perduto ou Homenagem a Gillo Dorfles”, 1977-1995.

 

Este trabalho retoma uma série de diapositivos datados de 1977, que retratam diversas bocas fotografadas em “closes” da tela da televisão. As imagens são complementadas por uma pequena TV coberta com um véu, onde se lê a palavra “Silêncio”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ver mais>>

Biografia

Currículo

“Em Busca da Cabeça, em Busca do Coração”, 1987

 

Em 1987, como artista convidada à exposição temática: “Missões 300 Anos” sobre as Missões jesuíticas no Rio Grande do Sul, Brasil, Vera CB escolheu uma imagem representando uma graça.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A imagem foi fragmentada, manipulada e repetida 14 vezes, refotografada e as imagens resultantes (os corpos das figuras) colocadas lado a lado na parede. No chão, defronte às imagens, em uma caixa de madeira cheia de carvão, aparecem as partes que faltam nas imagens acima: as cabeças e os corações. O nome desta instalação se refere à questão da identidade cultural.

ver mais>>

Instalações

Instalações

Trabalhos recentes

“Em que Taça beberei?” 1988

 

 

A decadência da cultura é o tema principal deste trabalho. Uma grande taça é fotografada em uma dessas lojas que vendem imagens para jardins, sendo a maioria delas copias de modelos de arte clássica. Depois de manipulada e ampliada a imagem é duplicada, formando um díptico. No chão, um caixa grande caixa de acrílico contém centenas de cacos de louça e no centro um pano de cetim vermelho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ver mais>>

 

 

Videos

PORTUGUES

Textos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Capitel em Vermelho” , 1987-88.

 

A religião e o barroco foram os primeiros modelos culturais impostos aos índios da América do Sul pelos conquistadores. Como muitos trabalhos deste período, se origina de uma fotografia, neste caso de um capitel missioneiro, a qual foi manipulada através da pintura, focopiada e refotografada.

As imagens ampliadas, são acompanhadas por duas caixas: uma com um detalhe da imagem acima em “backlight” e a outra com carvão. Ambos, representam o fogo e a destruição.

ENGLISH

ESPAÑOL

Contato

“Memorial III - Dones de la Vida”, 1992.

 

É uma instalação de grande porte, que compreende tres partes. A partir de uma imagem básica de flores, evoca o mundo feminino da memória do espectador. Isto, através de canteiros iluminados e rosáceas com imagens de flores e centenas de nomes femininos tanto gravados em mármore, como impressos em cartolinas coloridas, ou em pequenas caixas de madeira que podem ser manipuladas com luvas brancas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ver mais>>

 

 

“O Nadador”,1992

Instalaçao- Casa de Cultura

Mário Quintana,Porto Alegre.

 

 

Este trabalho parte de uma imagem de TV de um nadador olímpico no momento em que respira. Utiliza a manipulação variada da mesma, e incorpora outros elementos, metáforas do sopro vital , como água em recipientes como aquários e sacos plásticos com aguas coloridas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ver mais>>1

ver mais>>2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Memorial IV”, 1992

 

Este trabalho utiliza fotografias de ornamentos fotocopiadas e transferidas sobre fragmentos de mármore branco. Estes são colocados encaixados em uma plataforma de madeira, coberta con um grande pano, que cobre também toda a superfície da sala. Um vidro na porta de entrada permite apenas a contemplção. A iluminação é feita apenas com lámpadas de15 w colocadas debaixo do pano.

É uma câmara mortuária da cultura clássica.

“Enigmas”, 1996

 

Esta instalação se refere à evolução cultural do homem. Tres sugestivas fotos de primatas, apontam a tres fatores importantes da evolução do homem: a mão, o olho, e o pensamento. Un alfabeto arcaico esculpido em sal dentro de caixas iluminadas, ou pequenas peças de visón coladas em pequenas telas se referem respectivamente à abstração e à crueldade, fatores constantes na história da humanidade. Uma imagem cósmica do telescópio Hubbe, representa a expansão do olhar. Finalmente, uma grotesca figura da noiva-primata, sugere a pergunta:

“Deu certo o casamento do animal com a cultura ?”

 

“Cegueses - O Caminho de Tiresias ou Reflexões sobre a Cegueira”, 1997

 

 

Esta é a única instalação onde não foram utilizadas imagens, mas apenas textos. Ao ser uma exposição temática sobre a Cegueira, uma coletiva no Museu de Arte de Girona, os textos descrevem trabalhos de cinco artistas brasileiros que nos anos 60 e 70 trabalharam com aspectos não visuais. Os textos, impressos em “back light”, cegavam as 36 janelas do espaço do museu, denominado, “El Mirador” (O Mirante), que normalmente proporciona uma vista de 360 graus sobre a cidade. Livros com os textos em “braille”, dispostos sobre mesas, estavam à disposição de visitante cegos.

 

ver mais>>

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Nadadores” ,1998

 

Mais uma vez, a figura de um nadador aparece. Aqui, como o esforço homem em seu confronto com a natureza e a vida. Uma imagem tirada de um jornal, é transformada em 80 imagens diferentes, pela pintura e manipulação digital . As imagens, em sequência em

“looping” formam uma falsa animação que se refere à história da imagem com a pintura, fotografia e o cinema.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Le Revers du Rêveur”, 1998

 

Já nos anos setenta, Vera CB fotografara imagens da televisão. Aqui, cinco fotogramas de uma velha película inglesa, que mostram algumas cenas da història de uma rainha e de seu amante, inspiraram esta instalação. As imagens reproduzidas em caixas  “backlight” são complementadas pela resconstrução imaginária de pertences dessa rainha, tais como seu vestido, cartas de amor, jóias, e seu diário, mostrados em vitrines.

 

ver mais>>

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

             "Visitant Genet", 2001

 

        Go to Visitant Genet website

 

"Memorial V - Pau-Brasil

Uma câmara ardente para as árvores brasileiras"

2005

 

A partir da idéia de um memorial para as árvores brasileiras, quatrocentos e vinte nomes de árvores foram selecionados de um dicionário, dos quais noventa por cento de origem indígena.

Os nomes gravados em placas de mármore colocadas ladoalado nas paredes laterais de uma sala,formam o espaço central da exposição.

Numa ante-sala, caixas de luz e fotolitos em branco e preto, (nunca utilizados, datados dos aos 70) reproduzem árvores , florestas, madeiras cortadas.

Numa sequência, após a sala ilumidada dos mármores, entra-se num sala escura, ou câmara ardente, onde há uma projeção em dvd de imagens com o mesmo tema, com a sobreposição de uma chama que queima permanentemente.

 

 

 

 

 

 

ver mais>>

"Per Gli Ucelli", 2010.

 

 

Penso que de certa forma, a instalação para o Octágono é dividida em três partes:

duas estão na plataforma onde temos conjugado dois aspectos – a antiga artesania na manipulação das taças de vidro, e a tecnologia pós-moderna dos comandos  mecatrônicos dos circuitos da luz.

E pairando sobre, o som “natural” dos pássaros. Embora tenha sido elaborada

uma manipulação que utiliza a sobreposição de faixas de diversos cantos de pássaros, a origem do som ainda é natureza.

Lembro que já na minha infância eu observava de vcerta maniera o mundo como dividido em dois elementos distintos, o que era natureza e o que era construído. Por exemplo, numa passagem, me parecia que olando para um campo e vendo nele uma pequena casa, esta era um ruído e de certa forma até um rompimento da harmonia primordial, e eu constatava essa divisão entre natureza e ação humana.

 

De certo modo, há no trabalho um diálogo entre o objeto criado e a natureza.

 

 

 

 

 

ver video>>

 

"Enigmas", 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ver video>>